Toyota desenvolve robô

humanoide T-HR3

Lançado pela Toyota em 2017, o T-HR3 é um robô humanoide capaz de movimentos flexíveis que espelham as ações do seu operador humano remoto e de partilhar a força exercida, pelo robô, e no robô, através de feedback de força ao operador. O novo e aprimorado T-HR3, que a marca irá demonstrar na Exposição Robótica Internacional de 2019 em Tóquio, é agora capaz de executar tarefas mais difíceis, incluindo caminhar de forma mais natural.

Para explicar as novas funções de robóticas da equipa de desenvolvimento e a visão de futuro da Toyota através desta pesquisa, a marca partilha uma entrevista recente com Tomohisa Moridaira, líder da equipa de desenvolvimento do T-HR3 no Japão. Moridaira lidera um grupo de pesquisa e desenvolvimento na sede da Toyota em Tóquio e a sua equipa trabalha também no desenvolvimento dos robôs tipo mascote para Tóquio 2020, que estão a ser desenvolvidos em conjunto com o Comité Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio.

Toyota:
Quais as novidades, neste domínio dos Robôs Toyota?
Explique, o que há de novo no T-HR3?

Moridaira:
Para além de algumas pequenas atualizações ao robô T-HR3, a maior atualização foi adicionar um novo controlador "Master Hand" que permitiu à equipa de desenvolvimento melhorar a maneira como o “Master Maneuvering System” executa tarefas mais delicadas, até ao nível dos dedos. Além disso, conseguimos economizar peso nos braços e pernas para facilitar o controlo do robô.

Toyota:
Por outras palavras, tornou o movimento dos dedos do robô mais preciso e facilitou o controlo do sistema de manobras mestre?

Moridaira:
Sim, o operador coloca os óculos de realidade virtual e vê o que robô vê e senta-se na consola de controlo que apresenta uma espécie de sapatos e braços com luvas. O Robô move-se da mesma forma que o operador.

Toyota:
O que é que acontece se o operador/robô lhe der um aperto de mão?

Moridaira:
O operador sente o toque de cada dedo. É como dedos reais. O operador sente a sensação de apertar as mãos através do movimento do braço. Os modelos anteriores não podiam fornecer feedback para cada dedo assim, mas agora o robô consegue realizar tarefas mais delicadas, como pegar numa moeda.

Toyota:
E andar?

Moridaira:
O operador pode colocar o Robô a andar naturalmente desde início. Não é o mesmo que andar normalmente, mas pode controlar o robot facilmente. O operador está sentado e mexe o pé, e o robô de imediato avança e até muda de direção. Gostaríamos que o operador andasse o quanto quisesse, enquanto o robô mantem o seu equilíbrio e anda corretamente.

Toyota:
Por que é que a Toyota está a desenvolver um robô humanoide?

Moridaira:
Quando consideramos como os robôs serão usados no futuro, acreditamos que haverá muita procura por robôs que façam uso eficaz das articulações, da mesma maneira que os humanos, e que possam operar com segurança mesmo quando estiverem em contato com o mundo ao seu redor.
Nesse tipo de cenário, é vital que esses robôs possuam graus redundantes de liberdade. Escusado será dizer que enfrentamos inúmeros desafios de desenvolvimento, mas acreditávamos que estas tecnologias serão necessárias e, por isso, lançamos o desenvolvimento do robô humanoide com uma forma tipo.

Toyota:
O que significa "graus redundantes de liberdade"?

Moridaira:
É um recurso funcional que oferece flexibilidade ao robô, para que ele possa continuar a trabalhar, sem precisar de suspender as operações. Assim, por exemplo, um braço de robô com muitas articulações pode continuar a funcionar mesmo que algumas dessas articulações parem de funcionar por algum motivo.

Além de compensar algum ponto fraco, ter graus redundantes de liberdade permite uma maior diversidade na maneira como o robô se pode mover, inclusivamente permitindo que ele se mova debaixo de um objeto ou para o lado dele. É interessante ver a diferença na maneira como o robô se move, dependendo da personalidade e das habilidades do operador.

Toyota:
Porque é que o robô precisa ter a forma humanoide?

Moridaira:
Costuma dizer-se que uma forma humanoide é útil porque o robô pode usar as mesmas ferramentas e ambiente que um humano, mas mais um grande motivo é que os humanos acham que é mais fácil controlar robôs em forma humanoide.

Graças à Realidade Virtual (RV), não há dúvida de que as pessoas já experimentaram como é ter seus movimentos representados num mundo virtual. Como uma extensão disso, robôs avatar como o T-HR3, que possuem um corpo real, são capazes de ir além da RV para influenciar fisicamente o mundo real.

Obviamente, ainda temos que superar imensos problemas de desenvolvimento, mas no futuro, as pessoas poderão ampliar a sua capacidade de movimento e experimentar o mundo utilizando robôs avatar remotos - e a capacidade de oferecer novos serviços de mobilidade como este é um objetivo. Num caminho em que a Toyota se transforma numa empresa de mobilidade. Ou seja, a Toyota está a desenvolver o robô humanoide para oferecer novos serviços de mobilidade!

Na CES, em janeiro de 2018, o presidente Akio Toyoda afirmou: "É meu objetivo fazer a transição da Toyota, de uma empresa automóvel para uma empresa de mobilidade, e as possibilidades do que podemos construir, na minha opinião, são infinitas". Os robôs são um exemplo importante.

Em termos gerais, a Toyota pretende fornecer três tipos de serviços de mobilidade através dos seus robôs: o primeiro é "movimento físico", quando humanos e objetos realmente se movem pelo espaço; o segundo é "movimento virtual", quando o corpo ou parte do corpo de um operador é virtualmente movido através de um espaço remoto através de avatares ou agentes - o T-HR3 é uma exemplo disso;

o terceiro é "movimento emocional", pelo qual as duas formas anteriores de mobilidade proporcionam às pessoas novas experiências e encontros e as inspiram emocionalmente - a Toyota também vê isso como uma forma de "movimento".

Para cada uma destas três formas de mobilidade, a Toyota tem uma equipa envolvida no desenvolvimento de robôs.

Uma sociedade em que todos têm um motivo para viver

Toyota:
Quais os desafios atuais e planos futuros?

Moridaira:
Há muitos problemas que precisam de ser resolvidos antes que a Toyota possa começar a fornecer estes novos serviços de mobilidade, como obter graus redundantes de liberdade e desenvolver dispositivos operacionais leves, mas continuaremos a trabalhar para resolver esses desafios o mais rápido possível.

Esperamos que todos fiquem animados com o que o futuro reserva para novos tipos de experiências de mobilidade. Além disso, acreditamos que existem aplicações importantes para questões futuras, como o envelhecimento da população, incluindo o uso de comunicação remota via robô para reduzir o tempo de viagem dos prestadores de cuidados ou ajudando a ampliar a capacidade das pessoas que recebem atendimento para que possam fazer mais de forma independente.

Queremos usar as tecnologias que desenvolvemos para ajudar a criar uma sociedade em que todos possam maximizar o tempo que têm e viver uma vida emocionante. Podem esperar grandes coisas à medida que a Toyota continua a desenvolver robôs parceiros.

Toyota desenvolve robô humanoide T-HR3

Saiba mais sobre...

Toyota Hilux de Nasser Al-Attiyah arranca para o Dakar 2021 em primeiro lugar Toyota Hilux de Nasser Al-Attiyah arranca para o Dakar 2021 em primeiro lugar Nasser Al-Attiyah e Mathieu Baumel, aos comandos da Toyota Hilux, partiram para a 43ª edição do rali Dakar em 1º. A dupla da TOYOTA GAZOO Racing foi a mais rápida no Prólogo de 11 km no dia 2 de janeiro em Jeddah na Arábia Saudita e dia 3 de janeiro arrancou para o início do Dakar 2021 na frente. Toyota apresenta e-Palette com sistema de gestão de operações de mobilidade autónoma Toyota apresenta e-Palette com sistema de gestão de operações de mobilidade autónoma Toyota e-Palette é o primeiro veículo da Toyota desenvolvido especificamente para aplicações de mobilidade autónoma como um serviço ("Autono-MaaS”). Utilização prática planeada para Woven City no Japão, tendo como alvo o uso comercial em várias regiões nos primeiros anos da década de 20. Toyota entrega os primeiros GR Yaris em Portugal Toyota entrega os primeiros GR Yaris em Portugal Disponível em 3 cores e 3 níveis de equipamento: GR YARIS STANDARD, EXTREME PREMIUM e EXTREME RALLY e um preço desde 42.090 Euros, o novo desportivo da Toyota começou a ser entregue no final de dezembro aos clientes que efetuaram a reserva através do portal exclusivo online Toyota eleita Marca Automóvel Cinco Estrelas em 2021 pelo segundo ano consecutivo Toyota eleita Marca Automóvel Cinco Estrelas em 2021 pelo segundo ano consecutivo Toyota eleita marca automóvel Cinco Estrelas em 2021. Este é mais um reconhecimento do esforço da marca na satisfação do cliente. Tendo sido premiado pelo 2º ano consecutivo, na categoria automóvel, a Toyota atingiu a liderança, com o valor expressivo de 82,20% de satisfação.